Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

nada acontece por acaso

nada acontece por acaso

Falar menos...Fazer mais!

 

Por todo o lado, na ultima semana temos ouvido falar do caso do telemóvel na aula!

Propositadamente não disse que era o caso da aluna que…

Nem o caso da professora que…

Como sempre, toda a gente comenta: políticos, psicólogos, psiquiatras, jornalistas, analistas…enfim toda a gente tem uma palavra a dizer sobre todos os assuntos e, formos analisar os comentários do publico às colunas escritas, não sei quem terá mais defensores: se a aluna, se a professora!

O engraçado é que toda a gente comenta, toda a gente critica, de um lado ou de outro, mas não há ninguém que se atravesse com uma solução!

- O problema são os pais que não sabem educar…

- O problema são os professores que não se sabem impor…

- O problema são os jovens que não têm valores…

- O problema está em casa…

- O problema é da escola…

- O problema é do sistema…

Comum a todas as opiniões é que existe um problema!

Ok. Está detectado.

E então?

Onde está a solução?

Alguém sabe como ajudar aqueles pais, aquela aluna, aquela professora???

Nada…só opiniões!

- Se fosse comigo….

- Se fosse eu…

 

Pois, mas não foi contigo, por isso a tua solução não serve!

Quem sabe se já não passaram por aquilo que dizes que fazias?

Quem sabe o que está por detrás de tudo?

 

Nada acontece por acaso, ?

 

Pois, quem sabe o telemóvel – também na sua função de câmara de filmar – não terá sido aqui o actor principal para alertar a opinião pública para um problema que toda a gente ouvia falar mas ninguém queria enfrentar!

O telemóvel serviu apenas para desencadear uma série de reacções em cadeia, que demonstra bem que não há um, mas vários problemas que têm de ser enfrentados!

 

Sou testemunha de um jovem índigo, daqueles índigos mais puros, que estão aqui para por em causa o sistema, ou os sistemas!...

Eu acredito, sinceramente que essas crianças ou jovens até podem ter razão!

Os sistemas estão doentes…enferrujados!

Quando falamos com um desses jovens índigo,

Eles explicam com toda a sabedoria e lógica,

A imperfeição do sistema, do matrix que criámos,

Onde também fomos criados!

 

Tantos exemplos de crianças índigo

Ao nível do comportamento ou do sucesso escolar…

Que se tornaram famosos pelo seu brilhantismo….

Consta que Einstein foi um deles…

 

Estamos comodamente sentados no nosso matrix,

Eliminando tudo aquilo que é diferente…

Não cabe no sistema, não encaixa…

Está errado!

 

Por outro lado,

Esses que são diferentes…

Não têm a menor tolerância!

E perdem, geralmente a razão

Pela forma como fazem as coisas….

Sempre houve conflito de gerações.

Hoje temos uma guerra fria…

 

Está na hora de adaptar o matrix

À nova realidade!

Temos uma nova realidade familiar

(monoparentais a pluriparentais).

Sã os pais que não conseguem educar os filhos?

Ok.  Então partamos dessa realidade e enfrentemo-la…

Podemos mudar os pais?

Se não…vamos focar na solução!

 

Vamos parar de apontar o dedo!

Vamos parar de criticar e começar a agir!

Fazer qualquer coisa!

 

Eu vou tentar!

Assim tenha a inspiração e a coragem para seguir em frente

Assim os poderes politico-sociais o permitam…

Assim encontre as pessoas certas…

Assim ou assado...

Dizemos muitas vezes que “sou” assim ou assado,

E assumimo-nos como seres estáticos,

que fazem, dizem, sentem de determinada maneira.

Como se houvesse alguma coisa fixa e certa na vida

(para além da morte, claro!)!

 

O engraçado é que acreditamos que não podemos pensar ou agir

De outra maneira…

Nem tentamos!...

Claro que é mais fácil, assumir que nada podemos fazer,

Que não depende de nós,

Que nascemos assim…

e que o mundo à nossa volta é que tem de se adaptar a nós…

Nada podemos fazer…

Somos como que vítimas do destino!

 

Isto não é senão uma bela desculpa,

Que arranjamos para nós próprios!

Somos extremamente criativos a inventar

A origem das nossas acções!

 

Ao longo dos anos, tenho vindo a aprender a

“des-programar”

Algumas ideias formatadas que tinha sobre mim!

Quando consigo fazê-lo,

Sinto que, no fundo,

Basta aceitar e abraçar

as situações,

As pessoas,

Os momentos.

 

E, de repente,

Tudo flui e as coisas acontecem

Com enorme facilidade..

Como se, afinal,

Eu sempre tivesse sido assim,

Ou feito assim…

Afinal…

Já não sou como pensava que era…

Afinal, é bom tentar ser ou fazer diferente!

É bom evoluir,

É bom crescer,

É bom aprender!

Basta deixar fluir...

 

J

Good Morning Vietnam!

Quem não conhece o filme, devia vê-lo!

Vale a pena ver a energia com que Robin Williams

Dá um vigoroso Bom Dia matinal,

na estação de rádio do Vietnam,

Em plena guerra!

 

Quando acordamos pela manhã e, ainda a espreguiçar,

E sorrimos para o dia…

Estamos a sorrir para nós!

O dia, certamente, nos vai correr bem!

 

Tinha uma colega, numa empresa onde trabalhei,

Que, sempre que lhe perguntava:

- Bom dia! Estás boa? Está tudo bem?

Invariavelmente respondia:

- Mais ou menos…vai-se andando…

E coisas no género!

Uma vez disse-lhe que havia de a ouvir dizer:

- Estou ótima!

Acho que saí da empresa e não cheguei a ouvir….

L

Obvio que essa colega era uma pessoa triste…

Obvio que os dias passavam por ela…

Mesmo que estivesse tudo bem,

Ela não se dava sequer ao direito de se sentir bem!

 

Não conseguia dizer Bom Dia a sorrir,

Porque ela nunca sorria para o Dia!

 

Eu acredito que temos o poder de fazer de qualquer Dia,

Um dia bom ou mau!

Depende da nossa atitude, da nossa forma de olhar para o dia,

E dizer “Bom Dia!”.

Eu tento, todos os dias,

Decidir que vai ser um enorme

Bom Dia!

 

Faz toda a diferença!

BOM DIA PARA TODOS!

J

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2007
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2006
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D