comente
por Maga, em 06.05.10 às 11:35link do post | adicionar favoritos

Hoje tinha uma mensagem no FaceBook que me deixou a matutar...

Alguem que tinha ao grupo "nada acontece por acaso" criado por mim há muito tempo no FB.

Daí veio parar a este  blog e, deu-se ao trabalho de me mandar uma mensagem,

sem me conhecer,

dizendo que tinha gostado muito do que tinha lido, e cito:

"Acabei por ler e tenho muita pena que já não escreva. Revi-me em algumas coisas que vou descobrindo com o tempo e que são novas para mim.
Bem, era só para dizer que adorei as suas palavras e que deveria continuar a escrever. Poderia iluminar o caminho de muita gente:)"

Tenho recebido mensagens a alguns posts, comentando que gostaram do que lera e a pedir que escrevesse mais, mas...nunca um mensageiro foi tão directo e me bateu à porta como hoje!

Fiquei a pensar ...e ainda estou a pensar...

....

Bem hajas Susu!

 

Afinal...nada acontece por acaso!

 

 


comente
por Maga, em 17.02.09 às 03:28link do post | adicionar favoritos

 

Durante uns tempos, escrevia aqui alguns pensamentos,
Partilhei experiências, vivências,
mais ou menos profundas,
Mais ou menos pessoais.
Tentei ser sempre fiel a mim.
Ao descrever aquilo que sentia,
Era obrigada a olhar para dentro de mim, bem fundo,
E sentir que estava sintonizada com o meu Eu.
Fazia-me sentir bem.
Cada comentário representava um desafio,
Que me dava imenso gozo responder!
Confesso que alguns alimentavam o meu ego,
E por isso, também me davam gozo! :-)
Houve uma altura em que começou a ser mais difícil escrever…
Deixou de fluir…
Nessa altura eu percebi que não podia continuar a escrever,
Porque não estava a ser coerente comigo própria,
Não estava “ligada” ao meu Eu!
Encontrava-me na altura confortavelmente inserida num Matrix,
A trabalhar numa grande empresa,
Onde já não fazia sentido a minha presença,
Onde não queria estar e onde não queriam que eu estivesse!
Mas estava a ser comandada pela segurança material do meu Ego,
Consciente que estava profundamente infeliz,
Consciente que o meu percurso ali tinha terminado.
Consciente do meu medo,
Consciente da minha insegurança,
Consciente da minha falta de honestidade
Para comigo própria e, neste caso, 
Também para com quem lia este blog.
Consciente que estava a ser espelho de mim própria…
Consciente da minha incoerência:
Faz o que eu digo, não faças o que eu faço!
Parei.
Vivi as minha ansiedades,
Vivi o meu medo.
E um dia, decidi!
Enfrentei!
Nesse dia, renasci!
O meu Ego está inseguro, sem emprego, sem função.
O meu Eu está tranquilo e em paz.
Consciente que é o caminho certo!
O meu caminho!

comente
por Maga, em 28.04.08 às 16:41link do post | adicionar favoritos

No outro dia, uma cena de uma série na televisão,

Deixou-me a pensar…

Um médico pedia desculpa a um paciente porque tinha havido um erro e,

ao contrário do que lhe teria dito há um tempo atrás,

afinal, ele não tinha cancro! 

Estava cheio de saúde!

E o médico pediu desculpa pelo transtorno que o erro teria causado.

 

Mas eis que o doente (que não estava doente) se irritou muito,

Não pelo erro, mas por o medico ter dito a verdade!

Dizia ele que o ia processar!

Porque pela primeira vez na vida tinha conseguido

Viver um dia de cada vez;

Porque já nem se lembrava de uma fase tão boa no casamento

Porque tinha atenção e carinho como nunca;

Porque tinha feito um empréstimo ao banco;

Porque finalmente conseguia ser feliz!

O médico, obviamente perguntou:

- Espere aí! O senhor está a dizer que me vai processar por eu lhe dizer a verdade agora e não por ter errado antes?!

Enfim…a cena continuou e dei comigo a pensar…

Uma pessoa pode viver a felicidade na perspectiva da morte!

 

Às vezes, nós NÃO vivemos a Vida!

Nós sobrevivemos na vida…

É muito diferente.

E, o engraçado é que nem nos apercebemos.

Deixamos os dias passar, um atrás do outro,

Semana após semana, mês após mês,

Ano após ano…

Fazemos parte da engrenagem sempre que, diariamente,

Repetimos automaticamente a mesma acção…

O despertador que toca, o levantar, o duche,

o pequeno-almoço, o costume no sítio do costume…

Tudo sempre como de costume, na minha zona de conforto,

Onde me sinto seguro, porque já conheço.

Dia após dia.

 

Não paramos para sentir,

Não paramos nos ouvir, para nos escutar.

Por isso mantemos tudo como está…

Caminho seguro.

 

Mas, se me desafiar a mim própria a imaginar,

Que amanhã me dizem que tenho 6 meses de vida!

Provavelmente vou mudar muita coisa,

Porque sei que não está bem…

Provavelmente vou querer fazer muita coisa,

Que não tive coragem de fazer…

Provavelmente vou…tanta coisa!

 

Pois, perante o fim de qualquer coisa,

Apercebemo-nos da existência dessa mesma coisa!

Perante a perspectiva da morte,

Perdemos o medo

Ganhamos coragem

E vivemos a Vida!

Somos de facto, complicados….

Porque afinal,

A morte é a única certeza da vida!...

Vamos vivê-la!

J

 


comente
por Maga, em 08.04.08 às 15:21link do post | adicionar favoritos

 

Uma vez,  um dos meus filhos, ensinou-me algo que tento não esquecer!

Estava ele em plena adolescência, de férias,

Numa fase em que se achava bem crescido para fazer o que entendia…

As saídas nocturnas, foram-se prolongando até de madrugada;

Embora fosse verão, os dias, para ele eram curtos,

Porque se arrastava sem energia, entre um petisco na cozinha

E a televisão na sala…

 

Obviamente que eu andava muito angustiada.

Fazia o pior cenário, enervava-me e

Vivíamos constantemente em discussão,

Até um dia…

 

Nesse dia, em plena discussão, ele disse-me:

- Oh Mãe! Se calhar eu tenho que cair

Para aprender a levantar-me! Mas deixa-me cair senão não aprendo!

Consigo reviver o momento e sentir, ainda, o click dentro de mim!

Só respondi:

- Ok. Tens razão. Mas tenta entender que eu, como Mãe,  não consigo deixar de tentar por uma almofada por baixo para não te magoares!

 

Desde aí, tudo ficou mais fácil entre nós!

Engraçado, que eu deixei mesmo de me sentir angustiada; foi como se tivesse sido confrontada com uma verdade que não podia mudar!

Foi como se passasse a aceitar o processo dele…

Fui confrontada com a minha impotência,

E aceitei-a!

 

È difícil, por vezes, não interferir no processo do outro.

Aparentemente com a melhor das intenções, estamos convencidos

Que sabemos muito bem o que é melhor para o outro e tentamos interferir

No seu caminho, no seu percurso, no seu carma!

 

Vivemos cheios de pré-conceitos e esquecemo-nos que,

Temos de nos preocupar com o nosso próprio caminho,

Com o nosso próprio processo.

Podemos avisar o outro que está uma pedra no seu caminho,

Que deve ter cuidado para não tropeçar!

Mas não temos o direito de tirar a pedra do caminho dele.

Porquê?

Porque se a pedra lá estava, era por alguma razão,

E ele tem de aprender a tirá-la do caminho,

Para então crescer e seguir em frente.

Se não a retirar, a próxima pedra que encontrar vai ser maior…

E assim sucessivamente…

Podemos ajudar. Sempre.

Mas não devemos impor nada ao outro…

Devemos respeitar o caminho e aceitar.

Há vários caminhos para o mesmo destino…

Uns mais fáceis, outros mais difíceis;

Há várias maneiras de percorrer o mesmo caminho,

Cada um tem o seu percurso.

A sua vida!

...


comente
por Maga, em 31.03.08 às 17:02link do post | adicionar favoritos

 

Por todo o lado, na ultima semana temos ouvido falar do caso do telemóvel na aula!

Propositadamente não disse que era o caso da aluna que…

Nem o caso da professora que…

Como sempre, toda a gente comenta: políticos, psicólogos, psiquiatras, jornalistas, analistas…enfim toda a gente tem uma palavra a dizer sobre todos os assuntos e, formos analisar os comentários do publico às colunas escritas, não sei quem terá mais defensores: se a aluna, se a professora!

O engraçado é que toda a gente comenta, toda a gente critica, de um lado ou de outro, mas não há ninguém que se atravesse com uma solução!

- O problema são os pais que não sabem educar…

- O problema são os professores que não se sabem impor…

- O problema são os jovens que não têm valores…

- O problema está em casa…

- O problema é da escola…

- O problema é do sistema…

Comum a todas as opiniões é que existe um problema!

Ok. Está detectado.

E então?

Onde está a solução?

Alguém sabe como ajudar aqueles pais, aquela aluna, aquela professora???

Nada…só opiniões!

- Se fosse comigo….

- Se fosse eu…

 

Pois, mas não foi contigo, por isso a tua solução não serve!

Quem sabe se já não passaram por aquilo que dizes que fazias?

Quem sabe o que está por detrás de tudo?

 

Nada acontece por acaso, ?

 

Pois, quem sabe o telemóvel – também na sua função de câmara de filmar – não terá sido aqui o actor principal para alertar a opinião pública para um problema que toda a gente ouvia falar mas ninguém queria enfrentar!

O telemóvel serviu apenas para desencadear uma série de reacções em cadeia, que demonstra bem que não há um, mas vários problemas que têm de ser enfrentados!

 

Sou testemunha de um jovem índigo, daqueles índigos mais puros, que estão aqui para por em causa o sistema, ou os sistemas!...

Eu acredito, sinceramente que essas crianças ou jovens até podem ter razão!

Os sistemas estão doentes…enferrujados!

Quando falamos com um desses jovens índigo,

Eles explicam com toda a sabedoria e lógica,

A imperfeição do sistema, do matrix que criámos,

Onde também fomos criados!

 

Tantos exemplos de crianças índigo

Ao nível do comportamento ou do sucesso escolar…

Que se tornaram famosos pelo seu brilhantismo….

Consta que Einstein foi um deles…

 

Estamos comodamente sentados no nosso matrix,

Eliminando tudo aquilo que é diferente…

Não cabe no sistema, não encaixa…

Está errado!

 

Por outro lado,

Esses que são diferentes…

Não têm a menor tolerância!

E perdem, geralmente a razão

Pela forma como fazem as coisas….

Sempre houve conflito de gerações.

Hoje temos uma guerra fria…

 

Está na hora de adaptar o matrix

À nova realidade!

Temos uma nova realidade familiar

(monoparentais a pluriparentais).

Sã os pais que não conseguem educar os filhos?

Ok.  Então partamos dessa realidade e enfrentemo-la…

Podemos mudar os pais?

Se não…vamos focar na solução!

 

Vamos parar de apontar o dedo!

Vamos parar de criticar e começar a agir!

Fazer qualquer coisa!

 

Eu vou tentar!

Assim tenha a inspiração e a coragem para seguir em frente

Assim os poderes politico-sociais o permitam…

Assim encontre as pessoas certas…


comente
por Maga, em 07.03.08 às 18:06link do post | adicionar favoritos

Dizemos muitas vezes que “sou” assim ou assado,

E assumimo-nos como seres estáticos,

que fazem, dizem, sentem de determinada maneira.

Como se houvesse alguma coisa fixa e certa na vida

(para além da morte, claro!)!

 

O engraçado é que acreditamos que não podemos pensar ou agir

De outra maneira…

Nem tentamos!...

Claro que é mais fácil, assumir que nada podemos fazer,

Que não depende de nós,

Que nascemos assim…

e que o mundo à nossa volta é que tem de se adaptar a nós…

Nada podemos fazer…

Somos como que vítimas do destino!

 

Isto não é senão uma bela desculpa,

Que arranjamos para nós próprios!

Somos extremamente criativos a inventar

A origem das nossas acções!

 

Ao longo dos anos, tenho vindo a aprender a

“des-programar”

Algumas ideias formatadas que tinha sobre mim!

Quando consigo fazê-lo,

Sinto que, no fundo,

Basta aceitar e abraçar

as situações,

As pessoas,

Os momentos.

 

E, de repente,

Tudo flui e as coisas acontecem

Com enorme facilidade..

Como se, afinal,

Eu sempre tivesse sido assim,

Ou feito assim…

Afinal…

Já não sou como pensava que era…

Afinal, é bom tentar ser ou fazer diferente!

É bom evoluir,

É bom crescer,

É bom aprender!

Basta deixar fluir...

 

J


comente
por Maga, em 03.03.08 às 11:12link do post | adicionar favoritos

Quem não conhece o filme, devia vê-lo!

Vale a pena ver a energia com que Robin Williams

Dá um vigoroso Bom Dia matinal,

na estação de rádio do Vietnam,

Em plena guerra!

 

Quando acordamos pela manhã e, ainda a espreguiçar,

E sorrimos para o dia…

Estamos a sorrir para nós!

O dia, certamente, nos vai correr bem!

 

Tinha uma colega, numa empresa onde trabalhei,

Que, sempre que lhe perguntava:

- Bom dia! Estás boa? Está tudo bem?

Invariavelmente respondia:

- Mais ou menos…vai-se andando…

E coisas no género!

Uma vez disse-lhe que havia de a ouvir dizer:

- Estou ótima!

Acho que saí da empresa e não cheguei a ouvir….

L

Obvio que essa colega era uma pessoa triste…

Obvio que os dias passavam por ela…

Mesmo que estivesse tudo bem,

Ela não se dava sequer ao direito de se sentir bem!

 

Não conseguia dizer Bom Dia a sorrir,

Porque ela nunca sorria para o Dia!

 

Eu acredito que temos o poder de fazer de qualquer Dia,

Um dia bom ou mau!

Depende da nossa atitude, da nossa forma de olhar para o dia,

E dizer “Bom Dia!”.

Eu tento, todos os dias,

Decidir que vai ser um enorme

Bom Dia!

 

Faz toda a diferença!

BOM DIA PARA TODOS!

J


comente
por Maga, em 29.02.08 às 13:22link do post | adicionar favoritos

Por vezes, o dia a dia,

Vira semana a semana,

Mês a mês…

Passam os dias,

Passam os meses e,

Até anos, por vezes…

 

De repente, alguém com quem não falamos há tempo,

Vem-nos à cabeça,

Por associação, por recordação,

Por saudade, por uma razão qualquer!

Esse momento,

Pode ser O momento

Em que estamos ligados, unidos,

De qualquer forma a essa pessoa.

Há quem lhe chame intuição,

Telepatia, adivinhação!

 

Se nesse momento pegarmos no telemóvel

E ligarmos para essa pessoa,

É natural ouvi-la dizer:

Que coincidência, estava a pensar e ti!

Também é natural que a conversa decorra

Sem qualquer sinal manifesto de “coincidência”

E, sem dar por isso, ao desligar,

Sente-se, mesmo que por uma fracção de segundo,

Uma sensação de paz, de tranquilidade, de alegria,

De Amor…

 

Sempre que alguém me vem à cabeça,

Ou à memória, como queiram chamar,

Ligo de imediato…

Porque sinto

Que preciso de falar com essa pessoa,

Ou essa pessoa precisa falar comigo…

Tanto faz…

O importante é que se dê uma troca,

De palavras…

De energia…

 

Depois dessa troca…

Tudo parece diferente…

Tudo fica diferente!

Geralmente

Eu fico em Paz!


comente
por Maga, em 26.02.08 às 16:18link do post | adicionar favoritos

Há um tempo, ouvíamos os adolescentes queixarem-se dos pais,

Tudo lhes era permitido dizer sobre os pais!

Hoje, fui surpreendida por um rapaz de 26 anos (no meu tempo seria adulto; hoje é jovem!) que se queixava os pais não paravam de o chatear, porque achavam que ele não estudava ou trabalhava o suficiente!...

Então, ele concluía que a vida está toda mal estruturada porque “são obrigados a viver com os pais durante anos e…”

 

Obrigados???

Será que os filhos acham que estão com os pais por obrigação?

Não!

Os filhos não são obrigados a viver com os pais…Se estão insatisfeitos, porque não saem de casa e vão á sua vida? 

Há tantos que o fazem!

Que não queiram sair, porque perdem cama, comida e roupa lavada, eu até posso entender…agora que, ainda por cima se queixem dos pais…não entendo!

De facto, cada vez mais se vêem os filhos a ficarem em casa dos pais…começam a vida mais tarde passam os 26, 28, 30… e vão ficando, ficando, às vezes até trazem o namorado(a), para casa dos pais…

Tudo bem! Se estiver bem para eles e para os pais, no problem!

No entanto, se sentirem que estão a perder a sua liberdade ou a sua vontade própria, saiam de casa, ou vão trabalhar e tornem-se independentes para poderem viver à vossa maneira!

Há desemprego?

Sim, há!  Mas consegue-se sempre desenrascar qualquer coisa, seja baby-sitting, seja distribuir jornais, o que for!

 

Ninguém é obrigado a viver com ninguém!

Nem filhos com pais, nem pais com filhos; nem marido com mulher, nem mulher com marido!

Não temos o direito de acusar o outro da nossa “infelicidade”!

Mais uma vez eu sou responsável pela minha situação!

Eu tenho sempre uma opção!

Existe sempre uma opção.

Sempre!


comente
por Maga, em 21.02.08 às 11:54link do post | adicionar favoritos

 

 

Sempre que não percebemos os sinais que o Universo nos manda,

 

Principalmente os são sinais aparentemente negativos,

Pensamos logo que temos azar, que somos vítimas do acaso,

E perguntamo-nos logo:

-Porquê Eu? Porquê a mim?...

E bloqueamos no Porquê!

Fazemos a pergunta, mas não queremos ouvir a resposta!...

Acreditamos que não há resposta…

Nada justifica que eu possa merecer isto!

 

Aconteceu com uma amiga, que se lamentava de alguém,

Neste caso a nível profissional, o chefe,

Que, sem ela perceber porquê!

Começou a “trata-la mal”,

A embirrar com ela…

E lamentava-se…

- Porquê? Estava tudo bem! Desde que voltei de férias…

 

Pois…e ali fica a perguntar-se a ela própria:

- Porquê Eu?

- Porquê a mim?

- Porquê agora?

 

Eu acredito, verdadeiramente que nada acontece por acaso,

Por isso, o importante é mudar o “chip” na nossa cabeça

E deixar de perguntar Porquê?

E começar a perguntar: Para quê?!

 

Se alguma coisa me está a acontecer, de bom ou de mau,

Sempre que alguma coisa acontece,

É o universo a falar comigo…

O importante é tentar perceber o que ele me

Está a querer dizer!

Temos de estar atentos aos sinais que recebemos!

São para nos ajudar e não para nos prejudicar,

Como, à partida nos pode parecer!...

- O que tenho de aprender com isto?

 

No caso da minha amiga,

Talvez o chefe esteja a ser o seu maior Amigo,

Porque pode estar a dar-lhe a coragem,

Que ela não tem,

De mudar!

Mudar de emprego,

Mudar de funções,

Mudar de atitude…

 

Não sei, o futuro o dirá!

Mas acredito que o chefe é apenas um mero instrumento que o

Universo utiliza para podermos evoluir e aprender!

 

Muitas vezes, passado um tempo,

Conseguimos olhar para trás, e até dizer,

Deus escreve direito por linhas tortas, ou

Há males que vêem por bem!

 

Pois é!

Não precisamos de viver angustiados,

Não somos vítimas!

 

Sou dona e senhora da minha vida!

Sou a única responsável pelo que me acontece,

Por isso, tenho de parar de procurar as causas fora de mim!

Tenho de ter a coragem de ir bem dentro de mim,

Ter uma conversa muito séria comigo própria,

Com o meu Ego!

E tenho de ficar feliz,

Porque houve alguém que,

Mesmo sem o saber,

Me ajudou a reencontrar a direcção,

O meu caminho,

Que não é igual a mais nenhum….

Agradeço!


comente
por Maga, em 19.02.08 às 11:16link do post | adicionar favoritos
Pergunto-me e perguntam-me porque deixei de escrever aqui…
Pois, nem eu sei!
Sei que depois da minha peregrinação a Santiago,
Precisei de me recolher,
De estar mais centrada em mim.
Precisei de apagar a luz ao meu Ego,
E deixar o meu Eu crescer e amadurecer!...
Foi o que senti…
E deixei de escrever.
Só isso, nada demais!
 
Não sei se estou de volta,
Ou se isto é apenas um texto solto!
O tempo o dirá!
 
Sei que agora, que passei a barreira do meio século,
Sinto-me calma, tranquila, em paz…
Cheia de energia e vontade de fazer coisas…
E de partilhar também.
Porque não voltar a partilhar aqui as aprendizagens
Que vou fazendo neste percurso de vida?
 
Tenho aprendido muito.
Muito mesmo!
Tenho tido a sorte da vida me ter vindo a dar
Lições de vida!
Assim eu saiba ir partilhando,
Com Simplicidade, com Humildade,
Com Alegria…
E com muito Amor!

comente
por Maga, em 03.05.07 às 12:31link do post | adicionar favoritos
Está muita coisa a acontecer por esse mundo fora…
Por todos os lados nos aparecem sinais do Universo!
 
Parece a dança dos despertadores,
Tocam em todo a lado,
Tocam em vários ritmos,
Em varias velocidades,
Em todas as línguas...
What the hell is going on?
 
Tudo acontece à nossa volta
Em maior ou menor escala…
“Já nada é o que era…”
No mundo, no nosso país,
Na nossa cidade, no nosso bairro,
No nosso emprego…ou desemprego,
Na nossa família, na nossa casa…
No nosso Eu…
What is happennning here?
 
Os sinais aparecem de todos os lados.
O planeta está doente,
Nós estamos a despertar de um longo sono…
De uma realidade irreal,
Onde tudo parecia que era…mas
Nada era como parecia!
 
Já não fazemos parte de um rebanho…
Já não queremos fazer o que é suposto…
Queremos fazer aquilo que sentimos,
Queremos viver a nossa verdade!
Estão aí as novas gerações,
Que nos obrigam a rever os nossos valores,
Os nossos hábitos mentais, as nossas crenças…
Temos de olhar a realidade por outro prisma,
Aceitar que fomos “programados”,
Temos de desligar o piloto automático!
There must be another way!
 
Tem de haver outra forma, outro caminho,
Da Transparência, da Verdade,
Uma nova realidade onde
Tudo o que parece, É !

comente
por Maga, em 27.04.07 às 12:18link do post | adicionar favoritos

 

Ás vezes acho que fico surda,
Não consigo ouvir,
Não consigo ouvir-me,
Ou não quero ouvir…
 
Quando temos tudo bem estruturado na nossa vida,
Às vezes viramos autómatos,
Com piloto automático!
 
Parece que temos tudo controlado,
Sentados confortáveis,
Passando os dias
a ver os dias passar…
 
Deixamos de ter controlo…
Começamos por criar hábitos
Para nos facilitar a vida,
E, eis que passamos a viver de hábitos!...
 
Assim vamos estruturando,
As nossas crenças, os nossos valores,
Até um dia…
 
Há sempre um dia em que o despertador não toca,
Em que a programação não funciona!
É nesse dia que nos surpreendemos
Connosco próprios,
Com o nosso verdadeiro poder,
A nossa intuição, a nossa criatividade…
 
Há sempre um dia em que nos
Re …conhecemos,
Em que sentimos
Que há outro caminho,
Que está nas nossas mãos!
Que podemos mudar os hábitos,
As crenças, os valores…
Que existe uma porta para a liberdade,
A liberdade de poder escolher,
De poder fazer diferente,
De acreditar,
De criar!
De me
Re-criar!

Há sempre um dia...

Pode ser Hoje!

:-)

 


comente
por Maga, em 17.04.07 às 18:35link do post | adicionar favoritos
Tenho andado ausente deste blog,
Das pessoas, do mundo…
Tenho estado comigo,
Tentando situar-me neste jogo da vida!
 
Ainda não sinto distância suficiente
Para descrever o pré e pós Santiago…
Até onde me levou aquele caminho?
 
Abri uma porta que me levou até mim!
 
Passo a passo fui revivendo,
Reaprendendo…
Sem horas, sem tempo,
Sem objectivo,
Sem pressa de chegar a lado nenhum!
 
Engraçada a facilidade como que desligamos do mundo,
Como deixamos de sentir o peso da mochila!
Ao começar a caminhar…
Parece que se desintegra tudo aquilo que julgamos fazer parte de nós,
E tudo se reintegra em sincronia
Com o nosso próprio Eu!
 
Vivemos verdadeiramente o aqui e agora,
Em cada passo…
Surpreendemo-nos com a nossa capacidade
De nos ultrapassar a nós próprios,
O cansaço até à exaustão,
Os medos, as inseguranças…
 
Os passos sucedem-se uma atrás do outro,
Tal como na vida!
O caminho é variado:
Das rectas infindáveis em alcatrão,
Aos campos, florestas e bosques,
Os pequenos riachos e as cascatas,
As pedras e os cristas que brilham
Indicando o caminho…
Os sons, os cheiros,
As cores,
A natureza na sua essência…
 
Passo a passo,
Vamos ficando mais perto e mais longe,
Ora ao sol, ora à chuva,
Seguindo os sinais,
As conhecidas setas amarelas,
No chão, no muro, numa pedra…
Tal como na vida,
Sempre que precisamos,
Aparecem os sinais que nos orientam,,,
 
Fazer o Caminho de Santiago,
É uma vivência extraordinária!
Não se descreve,
Vive-se!
 
Dizem que o verdadeiro Caminho começa
Quando acaba a caminhada!
É verdade!
Eu senti.
Eu sinto.
Eu sou. Peregrina
Do caminho da Vida!
Afinal,
O que é a Vida senão um Caminho?

comente
por Maga, em 18.03.07 às 17:56link do post | adicionar favoritos
Esta semana vou caminhar até Santiago!
Não quero saber da net, do blog,
Do skype, do msn, dos telemóveis…
BlackOUT!
 
Esta semana vou fazer o caminho!
Quero ultrapassar os desafios,
Cada pedra, cada montanha, cada km…
Quero vencer as tentações,
O cansaço, as dores, os receios…
Quero sentir cada momento
Cada passo, cada paragem, cada km…
Quero experimentar e aprender,
Quero viver-me em paz,
Quero viver,
Quero paz…
WhiteIN!

comente
por Maga, em 07.03.07 às 23:13link do post | adicionar favoritos
Claro que existem milagres!
Alguém tem dúvidas?
Todos os dias acontecem milagres,
E todos nós fazemos milagres…
só que não estamos atentos
e nem damos por isso!
 
Dizemos que tivemos “sorte”,
Que foi uma enorme co-incidência;
Mas nunca assumimos que fomos nós os responsáveis…
Porque será?
 
Gostamos muito de nos vangloriar,
E assumirmo-nos como heróis,
Quando falamos de coisas mentais, racionais,
materiais, competitivas:
- Consegui! Ganhei!
Mas não conseguimos acreditar
No nosso verdadeiro poder:
O poder de acreditar que temos o Poder!
 
O Poder de não acordar para “mais um dia”,
mas de fazer hoje, um dia diferente!
O Poder de transformar o inferno num Céu,
E o Céu num inferno!
O Poder de tornar o sonho realidade,
E fazer da realidade um sonho!
Eu tenho esse Poder,
E vou usá-lo!
Hoje!

comente
por Maga, em 03.03.07 às 00:44link do post | adicionar favoritos

Estamos sempre a tomar decisões:

O que vestir, o que comer,

O que dizer, o que não dizer,

O que, como, quando…

E quanto mais opções,

Mais difícil decidir!

 

Às vezes tomo consciência da figura que faço,

No supermercado, frente aos yogurtes….

Tantos…todos diferentes, todos iguais?!..

Um gosta desta marca, outro daquele sabor…

Acabo por levar os mesmos de sempre…

É mais fácil, mais seguro porque sei que gostam!

Decido pelo hábito!

 

Lembro-me de pensar (há 25 anos…lol)

que a gravidez tinha uma enorme vantagem:

Não tinha que escolher a roupa de manhã!

Na altura tinha 3 ou 4 vestidos,

Que iam rodando ao longo da semana.

Que bom que era

não ter de tomar decisões!

 

Mas há alturas em que

Optamos por não optar….

Aquela camisola linda,

Levo azul ou verde?

Na dúvida…levo as duas!

É mais fácil não decidir!

 

Decidir! Optar!

Sempre ouvi dizer que

“Mais vale uma má decisão

Do que a falta de decisão…”

Mas afinal…

Decidir “não decidir”,

Também é uma decisão,

Porque assim o decidi!!!

 

Sempre que escolho seguir por um caminho,

Parar num cruzamento

ou se decido voltar atrás.

Estou a decidir o melhor para mim,

Neste momento,

Aqui e agora!

Porque não há decisões para a vida,

Não há sentidos únicos,

Não há sentidos proibidos,

Há um passo à frente do outro,

Um caminhar…

 

Qualquer que seja a direcção,

que eu escolher

É a que me vai permitir aprender o que preciso;

Podia ter escolhido outra?

Obvio que podia. Mas não escolhi!

E se tivesse escolhido outro?

Se? Se? Se…se….se…..se

Para quê o se????

Não sei se…

…nem me interessa!

Como diz Ma-ho,

A minha realidade aqui e agora,

é a ausência de todos os “ses”!

 

E…

Quando eu tomo uma decisão,

O universo inteiro funciona a meu favor!

As coisas vão acontecendo, aqui e ali,

Co-incidentemente…

Basta ficar atenta aos sinais,

E agradecer!


comente
por Maga, em 28.02.07 às 00:21link do post | adicionar favoritos

Ás vezes sinto-me um E.T

(leia-se extra-terrestre)!

Em determinados contextos,

Em determinadas situações,

Com determinados grupos de pessoas!

 

Sou um ET!!

Lol!

Basta entrar cheia de energia,

Espalhar alegria, sorrisos e gargalhadas,

Brincar com os “grandes problemas da vida”,

Desdramatizá-los,

Resumi-los à sua insignificância.

Ser diferente.

Aparentemente diferente!

Palavra chave: espiritual (whatever it means..)

 

Bingo!

Começam a definir-se as energias…

Surgem os medos, as inseguranças, as coragens,

As culpas, os espelhos…

As pessoas começam a movimentar-se

Para onde se sentem mas seguros!

 

Há os que, assumidamente, fogem!

Não querem nem ouvir falar,,,

De quê?

Nem eles sabem, porque não ouvem,

Vivem fechados em casa, de portas trancadas,

E têm até medo de espreitar pela janela…

Tentam fechar-se no seu mundo,

Que acreditam ser a real!

Pensam que controlam com mente racional,

Não se apercebem que são apenas

Seres telecomandados,

Controlados!

Eu já fui assim em tempos…

 

Há outros mais inseguros,

Espreitam pelo canto do olho,

Desconfiados….

Ficam curiosos, a ouvir…

E, a pouco e pouco vão abrindo as janelas

E reparar que lá fora…

Existe outro mundo

E que vale a pena viver!

As pilhas do telecomando começam a ficar gastas…

Ainda são controlados,

Mas sem comando à distância…

Eu já fui assim em tempos…

 

Há os “belos adormecidos”

Aqueles que estão a dormir…

E, de repente, sentem a luz,

Abrem as portas e janelas,

Querem saber tudo,

Sedentos de informação,

Começam a entender,

Que tudo faz sentido,,,

Que nada acontece por acaso…

Eu já fui assim em tempos…

 

Eu sei,

que já fui todos esses personagens,

Todos espelham uma parte de mim!

Eu sei,

Que cada um tem o seu timing,

tal com o eu tive o meu.

E também sei,

Que o comboio já partiu,

Pára em todas as estações…

Quem entrar, entrou…

Quem não entrar…

……………………………

Não sentes que o tempo

Está a passar mais depressa?!

O comboio está a chegar à tua estação!


comente
por Maga, em 23.02.07 às 00:57link do post | adicionar favoritos

Esta semana estive à procura do meu Pessoalismo.

Com mais um virar de página,

Entrei no meu ultimo ciclo de 7,

E num ano 9…

Sinto que vou acabar o último capítulo

Do meu livro,

O livro da minha indivi - dualidade

Do meu Ego,

e,

Vou começar um novo livro,

O livro do meu Pessoalismo,

Do meu Eu.

 

Quero deixar de ver dualidade,

de ser indivi-dualista…

e começar a visionar

o Indivisível.

 

Eu somos Nós,

Nós sou Eu,

Nada mais simples!

Nada existe

Para além de mim,

E eu não existo,

Senão num todo.

 

Não há co-incidências,

Não há acasos!

Tudo é perfeito…

Porque tudo é criado por Mim,

Por Ti, por Nós!

 

E se Assim é,

Se É assim,

Está na hora de acordar!!!

E de começar a criar

A realidade que queremos para nós…

A responsabilidade é nossa!

 

Comecemos por acreditar que Somos!

Que Sou!


comente
por Maga, em 13.02.07 às 18:02link do post | adicionar favoritos

 

 

O Calimero era aquele patinho preto com uma casca de ovo na cabeça, que se achava uma vítima do mundo:

 

“it is an injustice, it is!”

 

Acho que existe em todos nós um pequeno Calimero,

com alguma necessidade de se afirmar.

É tão fácil sentir-me vítima!

Foi uma injustiça!

Eu não mereço!

Foi por causa disto ou daquilo,

Deste ou daquele!

No limite,

Foi castigo de Deus!

 

Acho que durante anos fui uma Calimera brilhante!

Conseguia sempre arranjar forma de justificar

Tudo o que fazia,

Ou que não fazia!

Encontrava sempre uma razão

Que me tornava vítima da situação!

 

A responsabilidade

(há quem lhe chame culpa)

Lá bem no fundo, não era minha:

- Eu isto, PORQUE aquilo..!

Procurei sempre algures no passado,

a causa para  presente,

o tal “porque…”

E era fantástico,

Porque havia sempre uma causa,

Que fazia de lobo mau…

e eu ficava como a avozinha,

Coitadinha, que nada podia fazer…

Uma vítima!...

 

Quando comecei a ter coragem,

De me ver através do espelho,

Vi, em mim,

a avozinha, o capuchinho,

a caçador e também o lobo mau!

Tudo não passava de uma fantasia…

Só estou ali Eu,

Mesmo que Eu

Seja o somatório de vários Eu!

 

Posso representar vários papéis,

Mas sou sempre Eu,

Consciente e responsável.

Que decido a cada momento,

O meu caminho…


mais sobre mim
arquivos
pesquisar
 
subscrever feeds